h1

A Última Página | The Last Page

15 Dezembro, 2013

Esta página nasceu em em Janeiro de 2002 e chega agora ao fim.

Por isso quero agradecer a todos os que a visitaram e até revisitaram (com relevância para os subscritores), o apoio que me transmitiram através da evolução do número de visitantes. Uma palavra muito especial para a Rita Caré, que na qualidade de Webmaster manteve a seu cargo a concepção e a gestão do Photográcio. Além disso, que já não é pouco, quero salientar a enorme paciência e a permanente disponibilidade que sempre me dispensou ao longo destes últimos doze anos. Obrigado a todos. Termino com cinco imagens já aqui editadas e que se hoje me surgissem seria incapaz de as captar, num caso por alterações ambientais e nos restantes por falta de condições físicas e/ou agilidade.

 Libélula com gotas de orvalho

Libélula com gotas de orvalho

1ª – LIBÉLULA COM GOTAS DE ORVALHO

Alter do Chão, Outubro de 1998. Madrugada fria e orvalhada. Ainda na escuridão andei mais de meia-hora (ah ganda maluco!) com o tripé e o equipamento fotográfico às costas e com uma lanterna de pilhas na mão direita. Localizado o insecto é preciso agir sem demoras porque meia-hora após o nascer do Sol ele pode conseguir voar.

Graciphoto

Graciphoto

2ª – GRACIPHOTO

Tramagal, Fevereiro de 2009. Sebe densa de plantas trepadeiras. Num curto período de tempo a sebe funcionava como um crivo que deixava passar finos raios de luz solar. Colocado o equipamento sobre o tripé com a objectiva em posição frontal à sebe, aliviei a pressão sobre a rótula do tripé e rodei o conjunto câmera-objectiva durante o disparo. Hoje em frente da sebe há uma árvore que inviabiliza o fenómeno.

 Iphiclides feisthamelii

Iphiclides feisthamelii

3ª – BORBOLETA Iphiclides feitshamelii

Tramagal, Junho de 1999. Madrugada fria e enevoada. Subo por um escadote e com uma tesoura corto o ramo de oliveira onde a borboleta pousara na véspera à tardinha. Transportado o ramo com todo o cuidado e colocado numa pequena mesa de ferro forjado, o insecto ficou à minha disposição para ser fotografado. Esta é uma imagem que considero pouco vulgar, para não dizer rara.

Wrestling das garças

Wrestling das garças

4ª – GARÇAS-BRANCAS-PEQUENAS

Castro Marim, Setembro de 2000. Quatro aves numa pequena lagoa procurando comida. Fotografei o conjunto mas como era meu hábito mantive-me dentro da viatura seguindo os movimentos das aves. Com focagem manual corrigida a todo o momento ajustei a orientação da objectiva para as duas aves que estavam conflituosas. Zangaram-se de verdade e assim nasceu a imagem que designei por “Wrestling das Garças”.

Amanhecer

Amanhecer

5ª – AMANHECER

Alvega, um pouco a leste da Central do Pego. Da EN118 avisto os rolos de plástico envolvendo a palha e dou conta da imagem exótica formada com as nuvens e a luz do nascer do Sol. Terreno plano e sem pontos dominantes. Para captar a imagem subo com o tripé e o equipamento para o tejadilho da viatura.

Amanhecer. Um novo dia… uma nova vida.

Até sempre.

h1

Graciphoto 45

10 Dezembro, 2013

13.12.10 Graciphoto 45

h1

Aves do meu quintal | Birds from my garden

1 Dezembro, 2013

Durante cerca de dez anos, últimos cinco do séc.XX e primeiros cinco do séc.XXI, parte importante da minha actividade na época estival foi dedicada à fotografia de aves ditas de jardim. Para serem elas a vir ter comigo e não eu a tentar aproximar-me delas arranjei no meu quintal um bebedouro e um comedouro. Estas duas simples construções permitiram-me obter imagens, todas em diapositivos, da maioria das aves que frequentam quintais, jardins e parques.

Com a advento da fotografia digital os encargos com a captação de imagens de insectos passaram a ser suportáveis pelo orçamento de qualquer fotógrafo amador. Por este motivo o meu desejo de fotografar aves que já tinha fotografado esmoreceu e foi substituído pela fotografia de borboletas e libélulas.

Decorridos seis ou sete anos voltei em 2012 a fotografar as aves do meu quintal mas desta vez em registo digital. Parte dos resultados alcançados fica agora aqui editada.

Rola-turca

Rola-turca

 

Poupa

Poupa

 

 Melro-preto

Melro-preto

 

Picapau-malhado-grande

Picapau-malhado-grande

 

Papa-moscas-preto

Papa-moscas-preto

 

h1

A água e a luz V |The water and the light V

15 Novembro, 2013
A Água e a Luz

A Água e a Luz

 

A Água e a Luz

A Água e a Luz

 

A Água e a Luz

A Água e a Luz

 

A Água e a Luz

A Água e a Luz

 

h1

Graciphoto 44

10 Novembro, 2013

 

13.11.10 Graciphoto 44

h1

Borboletas nocturnas III | Moths III

1 Novembro, 2013

A última edição deste tema teve lugar em 1 de Junho de 2012. Volto ao assunto e com uma das mesmas borboletas, a Macroglossum stellatarum, conhecida por Colibri ou Beija-flor, porque consegui algumas imagens que revelam a sua actuação em voo e o extraordinário emprego do seu proboscídeo na captação do nectar. As duas últimas são para mim as melhores e menos comuns.

 

Colibri

Colibri

Colibri

Colibri

Colibri

Colibri

Colibri

Colibri

h1

Aves do estuário do Tejo V | Birds from the Tagus estuary V

15 Outubro, 2013

Esta 5ª edição das Aves do Estuário do Tejo é dedicada à garça que pelas suas cores,dimensões e comportamento acolhe as minhas preferências ornitológicas.  Estou a referir-me à Garça-vermelha (Ardea purpurea). É mais pequena mas menos comum que a Garça-real. O seu estatuto de conservação é EN que significa “Em perigo”, ou seja,o seu risco de extinção é muito elevado.

Em Portugal só aparece na época estival sendo os locais que mais frequenta o Estuário do Tejo e a Ria de Aveiro.  A sua alimentação é à base de peixes, lagostins e anfíbios que caça em valas e arrozais.  A primeira das imagens revela um encontro desta elegante ave com uma garrafa de plástico. Fazendo apelo aos termos de uma demissão política que ocorreu em meados do corrente ano apetece-me dizer que este encontro bem podia ter sido revogável não fosse o desleixo e a incúria de um dos nossos concidadãos que pelos vistos trata a Terra como se fosse uma lixeira. E no entanto,como acontece quase sempre,um simples gesto teria revogado o que se tornou irrevogável.

Irra! Há gente que devia ser obrigada a viver,ainda que gratuitamente,num alojamento adequado ao seu comportamento. Isso mesmo, numa pocilga.

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Garça-vermelha

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: