Archive for Julho, 2009

h1

Voos II | Flies II

15 Julho, 2009

Este é o segundo “post” sobre aves e insectos em voo.

09.07.15.01 Pega azul

6 – Pega-azul

09.07.15.02 Ostraceiro

7 – Ostraceiro

09.07.15.03 Abelharuco

8 – Abelharuco

09.07.15.04 Picanço-barreteiro-Ave-do-ano-2009

9 – Picanço-barreteiro
(Ave do Ano 2009)

09.07.15.05 Abelha carpinteira

10 – Abelha carpinteira

h1

As simpáticas aves do Rio Tejo | The appealing birds of the Tagus River

1 Julho, 2009

Em Março último fui,pela segunda vez,num passeio da Transtroia,rio Tejo acima.Desta vez organizado pelo meu amigo Gonçalo Elias no âmbito de uma actividade da Quercus.Aderiu à iniciativa bastante gente e,apesar do pequeno contratempo de o barco ter encalhado,o passeio foi agradável e permitiu observar muitas espécies de aves.Este era o objectivo principal do passeio.

Pela segunda vez encontrei um jovem entusiasta da ornitologia que ao ver-me exclamou: !Ah, estive a ver na Net as suas fotos do outro passeio” (eu tinha-lhe deixado o endereço do Photográcio com a indicação de que ia lá colocar algumas fotografias ). A observação fazia sentido. Nos tempos que correm é tudo feito a grande velocidade, com muita pressa, o mais rapidamente possível. Muitos fotógrafos e amantes da natureza que andam no campo a fotografar aves têm por hábito colocar na Internet as suas melhores fotografias. E isto é feito logo que chegam a casa ou nos dias imediatos. O sítio “Flickr” é um dos casos mais visíveis. Mas eu, bem ou mal, não tenho esse hábito. Assim o meu jovem interlocutor já tinha visto o que ainda não lhe era possível ter visto. A sua máscara de simpatia era perfeita. Por isso resolvi também colocar a minha e perguntei: “E então, o que é que achou?”. E ouvi dele com naturalidade e sem hesitações: “Estão bastante boas, muito boas mesmo”. Sem a máscara esta resposta teria sido um bálsamo para o meu ego.

Trocámos mais algumas impressões sobre as aves e separámo-nos, cada um com a sua máscara. Esta conversa, uma conversa entre mascarados, já se viu que não foi sincera. Além disso foi desequilibrada. Só uma das partes sabia que a outra usava uma máscara. É certo que era uma máscara de simpatia mas, em todo o caso, uma máscara.

Neste momento já está on-line uma imagem de aves do primeiro passeio e, acompanhando este texto, outras do primeiro e algumas do segundo passeio. De agora em diante a máscara do jovem passa a ser igual à minha, isto é, invisível. Se ele me disser que viu as imagens do segundo passeio e a sua opinião continuar favorável, o meu ego, liberto das grilhetas da certeza, já pode inchar à vontade. Esta opinião talvez cause alguma surpresa. Mas, para mim, a certeza é castradora da liberdade criativa. A certeza paralisa a imaginação. Só na incerteza é que a imaginação não tem limites. É por isso que não erro ao afirmar que, a simpatia com máscara, quando esta é visível, não passa de uma simpática mentira. E digo isto na incerteza de haver mentiras simpáticas. Que há aves simpáticas, umas mais que outras, lá isso há!! Tenho a certeza.

09.07.01.01 Alfaiates

Alfaiates

09.07.01.02 Flamingos

Flamingos

09.07.01.03 Gaivota com presa

Gaivota com presa

09.07.01.04 Garça-real na ponte Vasco da Gama

Garça-real na Ponte Vasco da Gama

09.07.01.05 Guincho

Guincho

%d bloggers like this: