h1

Libelinha Erythromma lindenii | Damselfly Blue-Eye

1 Julho, 2012

 

Quem consultar um guia de libélulas já com alguns anitos (mas não são precisos muitos) não vai encontrar o zigóptero com o nome científico acima indicado. É o caso, por exemplo, do pequeno livro “Odonatos – Claves para la identificacion de la fauna extremeña, nº 4” de José Perez-Bote e Beatriz Carpi, editado em 2006, que inclui esta libelinha na família Coenagrionidae e no género Coenagrion. Era a Coenagrion lindenii ou Cercion lindenii.

Como sabemos os investigadores vão fazendo análises laboratoriais e por vezes chegam a conclusões que não confirmam conclusões anteriores. Neste caso estudos genéticos recentes revelaram que seria mais adequado a sua inclusão no género Erythromma. Por isso passou a ser a Erythromma lindenii.

É uma espécie comum no Sul e Oeste da Europa. Apesar de se estar a verificar uma lenta migração para Norte, até agora não foi detectda a sua presença na Grã-Bretanha, na Escandinávia e na Europa de Leste.Contudo a sua área de distribuição também se estende pela Ásia, Sul da Rússia e África.

Esta libelinha frequenta lagos, rios e ribeiras de correntes fracas,canais de irrigação, etc. Nas regiões do Norte voa em Julho e Agosto e nas do Sul de Março a Setembro.

O macho é fàcilmente identificado pelas suas características externas. Cabeça e abdomen azuis com manchas pretas. O 2º segmento é preenchido por uma mancha preta que se assemelha a um cálice. Nos 3º ao 6º segmentos a mancha preta tem a forma de uma lança com a extremidade alongada. Os segmentos 7º e 8º são pretos e os 9º e 10º azuis. Os apêndices anais são salientes e mais compridos que o 10º segmento. Nas asas o perostigma é pálido, alongado e pontiagudo.

A fêmea é mais difícil de identificar. Por esta e outras zazões eu gosto muito de captar imagens com o macho junto da fêmea.

Erythromma lindenii

Neste caso é um “tandem” em voo com o macho a conduzir a fêmea para um local de postura. Assim, em princípio, não há dúvida que é a fêmea da Erythromma lindenii. Gosto também desta imagem porque ambos os insectos estão completamente nítidos. Isto não é frequente.O voo ocorre quase sempre por cima do meio aquático, razante à água, mas afastado das margens.É preciso ter alguma sorte para encontrar um ponto de vista que permita fotografar quase na vertical.

As duas imagens seguintes mostram como é feita a postura.O macho segura a fêmea por trás da cabeça e batendo constantemente as asas consegue manter-se numa posição estacionária.A fêmea vai pondo os ovos na vegetação sub-aquática e quase chega a submergir por completo como se vê na última imagem.

Erythromma lindenii

Erythromma-lindenii

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: